fabio_camarotta

Artista

Nome:   Fabio Camarotta
Nacionalidade:   Argentina
Categoria:   Pintura

Obra

Fabio desenha sobre madeira a imagem que quer pintar. Em seguida faz um preciso “dripping” (gotejar de tinta) diretamente com os tubos de acrílico, calculando bem a distribuição da cor ou a escala de cinzentos, a quantidade de tinta e os pontos exatos onde deve acumulá-la. Em seguida, coloca sobre essa superfície um vidro espesso e das mesmas dimensões, intervém aleatoriamente (magistralmente calculado) e as acumulações de tinta se dispersam dando um inconfundível aspeto de pipetado. Para além disso, como se tratasse de uma performance adicionada, e de uma imitação do processo artesanal em que o pisador de uvas produz o vinho, executa uma espécie de dança ritual pisando com cuidado e precisão o vidro para que a espessa capa de tinta que há por baixo se disperse de forma uniforme. O resultado: uma comunhão perfeita entre madeira, tintas e vidro, que se tornam um e indissolúvel com a imagem da pintura resultante, a que contemplamos, colada ao vidro Mas o fato de que a tatuagem esteja na moda hoje em dia, não obsta a que a sua prática remonte a milhares de anos na história da humanidade, quando se lhe conferia funções protetoras, curativas e mágicas. Em 1991 encontrou-se uma múmia neolítica, dentro de um glaciar dos Alpes austro-italianos, com 57 tatuagens nas costas. Conhecida como O Homem do Gelo ou Ötzi, é o cadáver humano com pele mais antigo que se encontrou e a sua idade calculou-se em cerca de 5.200 anos. Também é famosa a Princesa Ukok, da Sibéria, morta há 2.500 anos aos 25 anos de idade e cujo corpo mumificado mostra varias tatuagens de animais. Depois das suas séries Evolução, Vanitas, Flores, Tabaco, Céus…. Fabio Camarotta encerra um círculo milenário ao investigar algo tão antigo como a própria humanidade, a tatuagem, tratada conceptualmente com o respeito pelo seu próprio discurso contemporâneo e criando-a com a técnica da sua invenção pessoal, a Pintura Prensada.