joao-noutel

Artista

Nome:   João Noutel
Nacionalidade:   Portugal
Categoria:   Pintura
Catálogo:   Download PDF

Vive e trabalha em Lisboa, Portugal. Lic. Direito (Univ. Lusíada); Pós-Graduação em Desenho e Técnicas de Impressão pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto; Autor e responsável criativo de diversas publicações e projectos temáticos (vg “Douro – The New Generation”, “Nas Tripas”, apresentados na Feria do livro de Frankfurt 2005, a sua obra está ligada à imagem de vários vinhos premium (Pelada, Qta da Pellada/ Dão; Carrocel, Qta da Pellada/ Dão; Conceito/ Douro;Conceito New Zealand; Conceito South Africa; Contraste/ Douro; Bastardo/Douro; Niepoort/ Douro, Sparkling Wines Filipa Pato, Quinta da Prelada/Douro, etc). Em 2007 produziu duas edições limitadas exclusivas da série The Invisible Soul para o Museu de Serralves, Porto; Em 2008 foi um dos artistas convidados para a primeira edição da Portugal Brands, London UK/ The London Design Festival; Em 2009, entre outras personalidades, foi o artista plástico escolhido para o vídeo corporativo da Jason Associates e o artista plástico convidado para as edições CasaDecor Porto e Lisboa. Integra a lista de artistas do projecto ANAMNESE, plataforma digital internacional de arte contemporânea portuguesa; está representado em diversas colecções privadas e institucionais em Portugal (Banco BIG, Banco Banif Mais, Grupo MegaCarlton, Fundação António Prates, Metro do Porto, etc), Espanha, Alemanha e E.U.A., expondo regularmente desde 2002. É autor do projecto de arte pública “VOYEUR – Giant The Voyeur Project, 2008) adquirido pela Colecção Travessa da Ermida, Lisboa; 2º Prémio de Pintura 2008 Museu da Bairrada/ Galeria Nuno Sacramento; 2º Prémio Imagem do Vinho 2010; A sua Obra foi recentemente destacada em diversas publicações (entre outras, Visão, ArtReview (UK), Attitude, TimeOut Lisboa, Arte.Es (Madrid), ARTE Por Excelencias / Latino American). Em 2010 foi um dos 10 artistas seleccionados para a exposição MIMIC, Galeria Hartmann, Barcelona; Em 2011, artista plástico convidado do evento “Another Big Day at Nápoles 2011”; artista seleccionado para o prémio Amadeo Souza-Cardoso 2011; 2012 JUST MAD 03, Madrid (Galeria Nuno Sacramento); Artista plástico convidado do Portugal Fashion 2012.

Obra

Ao materializar intencionalmente narrativas, recombinando-as, reformulando possibilidades de descodificação das mensagens de cada trabalho, percebemos a componente iconográfica do universo ficcional da Obra de João Noutel. Com efeito parece ser esse o cenário privado preparado em cada pintura, denunciando construções de representação, com expressivo uso da ironia enquanto campo de reflexão.

A valorização do conceito de simulacro, de subtileza, de assertividade na abordagem de vários temas comuns à espécie humana, procuram apontar caminhos para um contexto de entendimento do que pode ser uma vertente da Pop Arte, no sentido da inquietude repetida pelo ideal estado de coisas.

João Noutel possibilita elegantemente, através destes mecanismos de acerto da realidade que o espectador vá desvendando o propósito final de cada obra, onde é evidente uma influência transdisciplinar pelo cruzamento de áreas como a arquitectura, a música, a fotografia, o cinema, a literatura, aparentemente fundamentais para o autor, na composição e equilíbrio de cada obra.

Neste conjunto de trabalhos João Noutel procura mapear a sua actividade mais recente, evocando uma aparente divisão em partes, em séries, com códigos distintos, como se de uma documentação/ investigação se tratasse sobre a força gráfica da pintura. O artista tem explorado diversas narrativas para retratar, de forma peculiar, a subtileza de alguns denominadores comuns à condição humana, sejam a tensão pura, a felicidade, a utopia, a aparência, a ruptura, a vontade, a fama, o desejo, a ternura, a inveja, o sucesso, etc.

O observador é confrontado assim com uma linguagem plástica não convencional, com uma forte componente metafórica, normalmente irónica e provocadora, revelando uma pintura com carácter instrumental com uma peculiar imagética iconográfica, convidando e envolvendo o observador a um desafio de percepção das possibilidades de uma imagem.

OUT SERIES é um “local” de análise e observação, onde em muitos casos se levantam questões sobre a descontextualização do desenho versus mensagem genérica subjacente a cada obra, com ritmos únicos e autónomos, conferindo a cada uma um estatuto anunciativo e intemporal. No limite, é esse o propósito do autor: procurar sempre limites possíveis para a força gráfica da pintura.